terça-feira, 16 de novembro de 2010

A COR DO SENTIDO

                                  


As almas tem a cor do seu sentido:
o que se dá à vida, o que se pede.
A vida tem a flor do meu sorriso...
mais lindo, quanto mais à flor da pele.
Sou negro, sou índio, e branco também.
Sou força e vida na Luz que me vem.
Sou ave e canto, suave e febril.
Sou riso e o arco-ires do brasil.
E aonde quer que eu vá, eu vou inteiro:
o corpo em pele, alma e emoção.
sou negro, índio, branco... sou brasileiro.
Sou amando pelo Brasil de coração.

Nenhum comentário:

Postar um comentário